quarta-feira, 21 novembro 2018
Capa » PROSEANDO » Audiência Pública em Brasília debate Rodeio como patrimônio cultural

Audiência Pública em Brasília debate Rodeio como patrimônio cultural

Bom dia Gaúchos e Gaúchas! Com a sua permissão e a benção de nosso Senhor estamos aqui para mais uma prosa semanal no Proseando com Ratinho Chaves.

Nesta semana vamos trazer informações de como foi a Audiência Pública realizada na Capital Federal para tornar os Rodeios como Patrimônio Cultural.

foto 1 A

Os cuidados com os animais na realização dos Rodeios e a preservação da identidade cultural foram os destaques da Audiência Pública na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. O encontro, realizado em conjunto com a Comissão do Meio Ambiente, teve como enfoque os projetos de lei que elevam a manifestação popular denominada Rodeio Crioulo à condição de patrimônio cultural do país. O Deputado Federal Afonso Hamm, que foi relator do PL sobre os Rodeios, na Comissão da Agricultura, participou da audiência.

O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) do Rio Grande do Sul participou como panelista, por sugestão do deputado Afonso Hamm, apresentou o contexto histórico sobre rodeios, que no Estado teve início em 1951, em Esmeralda, no distrito de Vacaria. Ainda observou que é uma atividade de preservação de identidade, com elevada importância cultural, social e econômica. Conforme o MTG, somente no Rio Grande do Sul é realizado mais de 300 rodeios oficiais, 200 festas campeiras e de mil tiros de laço, durante todo ano. No ponto de vista econômico o movimento tradicionalista no Rio Grande do Sul, responde por ano R$ 1 bilhão e 100 milhões, contribuindo para o Estado, em R$ 170 milhões em impostos anualmente.

O Presidente do MTG ainda detalhou sobre a existência de legislação que regulamenta os rodeios, assim como, a série de medidas de proteção dos animais para os eventos, seja no transporte, acomodações, na defesa sanitária, na alimentação, na saúde, nas provas e com a presença constante de médicos veterinários.

Defesa dos Rodeios

O capitão Augusto fez uma abordagem do Projeto de Lei 1767/2015, que eleva os Rodeios à Manifestação Cultural Nacional do País. Ainda relatou sobre o trabalho do deputado Afonso Hamm, que foi relator do PL 2086/2011, que prevê a proibição das perseguições seguidas de laçadas e derrubadas de animais em rodeios, na Comissão da Agricultura e que teve aprovação do relatório por unanimidade, rejeitando o projeto de autoria do deputado Ricardo Trípoli. O PL agora está tramitando na Comissão do Meio Ambiente.

foto 1 B

Afonso Hamm comenta que esse projeto trouxe intranquilidade aos organizadores, participantes e apreciadores dos rodeios. E, nesse sentido apresentou relatório pela rejeição do PL, e, em defesa da manutenção dos rodeios e preservação dos seus costumes, cultura e tradição. O parlamentar ainda salientou sobre a participação na audiência, do presidente da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), José Laitano. Hamm relata que o cavalo crioulo é o animal símbolo do Rio Grande do Sul e que é utilizado nos rodeios crioulos, assim como, os bovinos, seguindo os devidos cuidados. Conforme dados da ABCCC, em 2012, o faturamento é de R$ 1 bilhão e 200 milhões e, agora supera a R$ 1,5 bilhão. Além disso, o setor envolve 48 mil empregos diretos e 238 mil empregos indiretos.

O parlamentar ainda enfatizou sobre a existência da cartilha que regulamenta o bem-estar animal em competições, estabelecendo as regras adequadas sobre os cuidados com os animais. Hamm relatou que o MTG já extinguiu algumas provas como a cura do terneiro e pealo. Além disso, lembra que os rodeios são devidamente regulamentados pelas Leis 10.519/2002 e 10.520/2002, com normas sobre o tratamento adequado aos animais.

Também estavam presentes na audiência: os representantes da Associação Brasileira de Vaquejada, Associação Brasileira do Quarto de Milha, MTG do Planalto Central, Rodeovet, especialistas em legislação e Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal.

Os Projetos de Lei 1554/2015 e PL 1767/2015, que eleva a manifestação popular denominada Rodeio Crioulo à condição de patrimônio cultural imaterial do Brasil foram aprovados na tarde de terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça.

(Matéria com apoio do Gabinete do Dep. Federal Afonso Hamm)

Assim fechamos mais uma prosa semanal com o Ratinho Chaves, onde agradeço a cada um de vocês que reservaram alguns minutos de seu dia-a-dia para prosear conosco, sempre com o intuito de trazer aos gaúchos o que está acontecendo em nosso tradicionalismo.

“Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”.

Sobre Leandro Chaves

Leandro Chaves
Professor e Tradicionalista. Filho de Italmir Maldonado Chaves (in memoriam) e Ana Maria Castro Chaves. Exerceu diversas funções em Entidades Tradicionalistas de São Gabriel; foi Sota-Capataz e Tesoureiro da 18ª Região Tradicionalista. Atualmente integra o Departamento Social do CTG Tarumã. É o idealizador do Mennatchê, um evento tradicionalista realizado no mês de Setembro, dentro de uma Escola Pública, que tem como objetivo cultuar as tradições do RS.

BOMBEIA TAMBÉM, TCHÊ!

46º Rodeio Nacional do CTG Os Praianos começa neste sábado (28)

Shows nacionais, apresentação de grupos tradicionalistas, gastronomia, danças, exposições e competições artísticas são alguns dos ...