quinta-feira, 18 outubro 2018
Capa » PROSEANDO » Encontro de Artes e Tradição Gaúcha – ENART

Encontro de Artes e Tradição Gaúcha – ENART

enart-capa

Encontro de Arte e Tradição (ENART 2016) é o mais tradicional evento gaúcho de dança tradicionalista. A sua importância é tamanha que ele foi considerado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) como o maior festival de arte amadora da América Latina.

Promovido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), o evento é realizado em três etapas anuais que são: as regionais, as inter-regionais e a final. Centenas de competidores de todo o estado participam deste evento e milhares de espectadores, não só do Rio Grande do Sul, como também de outros estados e países, que prestigiam o evento e apreciam as tradições do povo gaúcho.

Durante a etapa Regional classificam-se sete competidores de cada modalidade para a próxima fase. A inter-regional é a etapa em classificam-se oito ou nove competidores para a fase Final, em grupo de regiões. A fase final é realizada todo o ano, no terceiro final de semana de novembro, na cidade de Santa Cruz do Sul. Nessa fase, os classificados das inter-regionais competem com concorrentes de todo o estado para eleger os Campeões Estaduais. Em algumas modalidades, como, por exemplo, Danças Tradicionais, existe mais uma fase, que ocorre no terceiro dia da fase final, chamada de finalíssima, em que um certo número de competidores é selecionado para se reapresentar.

HISTÓRIA DO ENART

Tudo começou na década de 70, quando o Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL) era um movimento empenhado em combater o alto nível de analfabetismo no país. No Rio Grande do Sul, além de alfabetizar, se divulgava a cultura para elevar a autoestima da população e também para oportunizar o surgimento de novos valores artísticos. Foi então que Praxedes da Silva Machado, responsável cultural pelo Mobral, buscou a parceria do Movimento Tradicionalista Gaúcho e, com a participação do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), criaram o Festival Estadual de Arte Popular e Folclore, popularmente conhecido como Festival Estadual do Mobral. Em sua ideia principal o evento seria realizado a cada ano em uma cidade diferente.

A primeira edição deste festival foi realizada em 1977 em Bento Gonçalves. A segunda, em 1978, em Porto Alegre, a terceira, em 1979, em Lajeado, a quarta, em 1980, em Cachoeira do Sul, a quinta, em 1981, em Lagoa Vermelha, a sexta, em 1982, em Canguçu, a sétima, em 1983, em Soledade e a oitava, em 1984, em Farroupilha. Em 1985, a nona edição estava programada para acontecer em Rio Pardo, mas suas autoridades desistiram e o Festival foi novamente sediado em Farroupilha. Desde então o evento deixou de ser itinerante, já que a cidade de Farroupilha estava disposta a sempre sediar a fase final.

Desde 1986, o evento passou a ser promovido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho, em parceria com a Prefeitura Municipal de Farroupilha e o Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF) e passou a ser chamado de Festival Gaúcho de Arte e Tradição (FEGART). O FEGART era realizado no último final de semana de outubro e até a décima primeira edição, em 1996, foi realizado em Farroupilha.

Ao longo dos anos, o Festival foi crescendo e, para sua realização, algumas necessidades estruturais e financeiras foram surgindo. Foi aí que a Prefeitura de Farroupilha optou por não mais sediar o evento, obrigando que a décima segunda edição fosse transferida para Santa Cruz do Sul.

Em 1999, o evento passou a ser chamado de ENART e em 2014 chegou a sua 28ª edição. Segundo o site do MTG, O ENART tem por finalidade “a preservação, valorização e divulgação das artes, da tradição, dos usos e costumes e da cultura popular do Rio Grande do Sul. Seus objetivos são promover o intercâmbio cultural, além de uma retomada de consciência dos valores morais do gaúcho entre os participantes das diversas regiões culturais Rio-grandenses; projetar a cultura popular e tradicional do Rio Grande do Sul em nível regional e estadual, abrindo perspectivas de amplitude além de nossas fronteiras; promover a harmonia, a integração e o respeito evitando-se a projeção da vaidade e o personalismo entre os participantes; valorizar o artista amador do Rio Grande do Sul, evitando atitudes pessoais ou coletivas que deslustrem os princípios de formação moral do povo gaúcho; e credenciar os vencedores do ENART, nas diversas modalidades (individual ou coletiva), a se apresentarem nos eventos oficiais do MTG e representarem o Estado nos eventos nacionais e internacionais, quando convidados”.

Desde 2009, o evento é transmitido ao vivo pela internet. Em 2014, o evento foi um sucesso. Foram oito palcos paralelos, 24 modalidades, mais de cinco mil artistas competindo e mais de 600 apresentações. O público desta edição chegou a cerca de 85 mil pessoas.

LOCALIZAÇÃO DOS PALCOS

14947764_2148933881998678_3778156793666269348_n

CONCORRENTES NO ENART 2016

enart-1

enart-2

enart-3

enart-4

enart-5

enart-6

enart-7

enart-8

enart-9

enart-10

enart-11

enart-12

enart-13

enart-14

enart-15

enart-16

enart-17

enart-18

enart-19

enart-20

Matérias com apoio do site do MTG e do Enart.

“Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”.

Sobre Leandro Chaves

Leandro Chaves
Professor e Tradicionalista. Filho de Italmir Maldonado Chaves (in memoriam) e Ana Maria Castro Chaves. Exerceu diversas funções em Entidades Tradicionalistas de São Gabriel; foi Sota-Capataz e Tesoureiro da 18ª Região Tradicionalista. Atualmente integra o Departamento Social do CTG Tarumã. É o idealizador do Mennatchê, um evento tradicionalista realizado no mês de Setembro, dentro de uma Escola Pública, que tem como objetivo cultuar as tradições do RS.

BOMBEIA TAMBÉM, TCHÊ!

Caçapavano ganha reconhecimento do MTG por atividades tradicionalistas

Na última sexta-feira (01/12) o Caçapavano Lucas Mota recebeu uma homenagem em reconhecimento aos serviços ...