Capa » ARTÍSTICA & CULTURAL » Questionamentos sobre a qualidade da erva mate

Questionamentos sobre a qualidade da erva mate

O IBRAMATE recebe constantemente reclamações via email e facebook sobre a qualidade da erva-mate comercializada. Alguns consumidores se dizem insatisfeitos com a qualidade da erva-mate.

Para esclarecer a todos, o quesito qualidade está intrinsicamente ligado a diversos fatores de controle, como: procedência das mudas plantadas (variedade), forma de cultivo, tipo da matéria prima (se nativa, plantada sombreada, plantada e cultivada), forma e processo de industrialização, armazenamento, tempo de vida na prateleira, e preço.

Muitas empresas ervateiras têm adotado medidas para o controle absoluto de qualidade em seus produtos. E isto não é tão simples assim, pois requer funcionários treinados, qualificados e capacitados; produtores conscientes e parceiros; uma ótima logística de entrega da mercadoria, e reposição na gondola do supermercado. É bom que todos saibam que, quem coloca a erva-mate na prateleira do supermercado, são “os repositores das industrias, e não os funcionários dos mercados.

Normalmente, as reclamações advêm de erva-mate já passada do tempo, que perdeu a cor e sabor. Pelo processo industrial de hoje, se não for consumida em 45 dias no máximo, já perde estes atributos. A forma de cultivo pelo produtor é outro fator. Pois, ervais onde se coloca adubos químicos e uréia em excesso, torna a matéria prima amarga. O tipo de matéria prima relacionada a variedade das mudas plantadas, e a época da colheita, também tem um grande reflexo no sabor do chimarrão. A folha da erveira tem que ter 18 meses, ou um ano e meio, para estar no ponto da colheita. Matéria prima colhida quando a erveira está em franca brotação, também interferem no sabor do chimarrão, tornando-o amargo.

Outro fator, que muito concorre na qualidade é o preço. Tem um ditado que diz “o barato custa caro”. No nosso caso, erva barata, que hoje é vendida a menos de R$ 8,00 por quilo nos mercados, certamente é aquela erva-mate classificada como de média a baixa qualidade no momento da compra por parte do industrialista ervateiro. Mas, como tem consumidores para todos os gostos, sabores, e poder aquisitivo, este tipo de produto também é industrializado.

Porque surgiu a erva-mate “suave”, que quer dizer com açúcar? É uma forma de suavizar o gosto extremamente amargo da matéria-prima. Ou seja, aquela de baixa qualidade é adocicada artificialmente. Muitos consumidores se enganam, acreditando que erva-mate “suave”, é por natureza e qualidade. Em grande parte, o consumidor não tem o habito de ler o que está escrito nas embalagens.

Mesmo assim, também os consumidores reclamam do preço alto da erva-mate. Já mencionamos em outras matérias escritas que a erva-mate para chimarrão é um produto de baixo valor agregado. Com 01 quilo se faz 10 cuias de mate, e se toma 20 litros de uma bebida natural, ao custo de R$ 0,50 por litro. Quem conhece bebida natural mais barata que essa? Pelo preço de um pé de alface, se consome 2 a 4 litros de chimarrão!

Para que estes e outros problemas graves na produção, fabricação e comercialização da erva-mate sejam resolvidos, deve-se adotar um “selo fiscal de controle e qualidade”. É somente desta forma que resolveremos de vez os gargalos da cadeia produtiva da erva-mate, atingiremos novos mercados, e teremos consumidores satisfeitos.

Produzir erva-mate para chimarrão é uma ciência! Tem seus macetes e segredos. Pena que os consumidores não os conheçam!

Por isto, o IBRAMATE repassa estas valiosas informações.

Fonte: IBRAMATE – Eng. Florestal Roberto M. Ferron / Diretor Executivo.

Fonte: Erva Mate Cor e Sabor.

BOMBEIA TAMBÉM, TCHÊ!

Piquete inova e conquista concurso com prato a base de peixe

Piquete 345: Desgarrados da República, do bairro Partenon, saiu do convencional e venceu o concurso. ...