Capa » PROSEANDO » Saudade do meu velho

Saudade do meu velho

Buenas Gaúchos deste chão sulino. Com a sua permissão e a benção do nosso Patrão Celestial estamos lhe pedindo licença para mais uma prosa semanal com o ratinho Chaves.

Nesta semana não poderia ser diferente, minha coluna semanal trará uma homenagem a ti meu Pai, que neste dia 19 de abril estará completando seis anos que nos deixou, muita saudade, muita falta você faz a nós familiares como ao nosso tradicionalismo gaúcho, pois muitos desmandos acontecem e com certeza você Pai seria uma voz junto ao Movimento Tradicionalista Gaúcho para pelo menos, tentar, barrar qualquer falcatrua que por vezes acontecem em nosso movimento.

Você que cresceu nos campos da Serrinha, hoje interior do Município de Santa Margarida do Sul e na cidade de São Gabriel e veio a frequentar os bancos escolares e se formou em Técnico em Contabilidade.

Você meu velho Pai, que aos 18 anos ingressou no Exército Brasileiro chegando ao posto de Tenente R2. Foi lá no exército que começou a demonstrar sua capacidade de interagir com os outros, sem menosprezar seus subordinados e nem desrespeitar seus superiores, tratando todos iguais, o que aliou aos ensinamentos recebidos de seus pais e carregou consigo durante toda sua vida.

13059868_988024094626338_933270108_n

Muita saudade Pai, pois quando casou-se em 26 de abril de 1975 com a Mãe Ana Maria Castro Chaves, da qual teve três filhos Leandro, Milene e Cintia, hoje nossa família tem cinco netos Gabriella, Anna Julia, Helena, Eduarda, Nicollas, com mais uma neta a caminho, constituiu uma família simples, humilde, mas acima de tudo trabalhadora.

Pai muitas saudades de ti o tradicionalismo gaúcho tem de você, pois desde o início de sua trajetória no Movimento Tradicionalista, quando iniciou junto ao Centro de Tradições Gaúchas Caiboaté, passando pelo CTG Clarim Clarim Campeiro onde foi Capataz da entidade, você deixou marcas, pois foi no Clarim Campeiro que, com dinamismo, organização e planejamento da Patronagem, conquistaram os primeiros títulos da Reculuta Farroupilha Municipal.

Sua participação nestas duas entidades tradicionalistas, você PaiItalmir Chaves, começou a demonstrar o seu exemplar trabalho, da qual era presenciado por todos, e foi então, convidado a fazer parte da Coordenadoria Tradicionalista Municipal, CTM, sendo que, em poucos anos foi eleito Patrão da CTM e reeleito ao cargo.

Seguindo sua trajetória no tradicionalismo, o “Milinho”, como era conhecido, demonstrava a cada evento seu potencial junto aos tradicionalistas, mas sempre resaltava: “Não faço nada sozinho, o meu trabalho é fruto de um trabalho em equipe”, e foi convidado a ingressar na 18ª Região Tradicionalista, uma das trinta regiões tradicionalistas ligadas ao MTG – Movimento Tradicionalista Gaúcho, onde em seu primeiro ano foi eleito Vice-Cordenador da 18ª RT.

A cada ano, com seu trabalho subiu, humildemente um degrau no tradicionalismo, onde foi eleito Coordenador da 18ª Região Tradicionalista, vindo a ocupar o cargo por quase uma década, sendo até a presente data o tradicionalista que mais vezes foi reconduzido ao cargo, pelos patrões das Entidades das cidades que compõem essa Região Tradicionalista.

Pai o porquê da saudade, pois realizava um trabalho incansável pelo tradicionalismo gaúcho, onde quando esteve no cargo de Coordenador da 18ª Região Tradicionalista, você Pai percorria mais de 12 mil quilômetros por ano, pelos mais distantes rincões deste Rio Grande do Sul e Brasil, participando de eventos tradicionalistas, Festas Campeiras, Congressos, Convenções, Ciranda de Prendas e Peões, Encontros de Patrões, Reuniões, entre outros.

O Milinho, como você era conhecido, realizava tudo com amor as tradições gaúchas, ausentava-se de sua família para estar sempre participando do Movimento Tradicionalista, onde por várias vezes passava as horas nos bancos das Estações Rodoviárias, também chegou a passar horas da noite dentro de um caixa eletrônico de uma Estação Rodoviária, fazendo palavras cruzadas, para escapar do frio de nosso inverno, pois ali dentro tinha ar-condicionado, esperando o horário do próximo ônibus que o levaria ao seu destino,

Você Pai tinha um verdadeiro amor as tradições de nosso Estado, esse foi um dos símbolos marcantes de Italmir Chaves, um tradicionalista simples, amigo e companheiro, tudo que fez no tradicionalismo foi de coração e amor a nossa cultura, fazia com prazer, com responsabilidade e simplicidade, era respeitado por todos neste Rio Grande de Deus.

Italmir Chaves, o Milinho, também foi um dos fundadores da Associação Tradicionalista Margaridense, ATM, entidade criada para coordenar o Movimento Tradicionalista de Santa Margarida do Sul. Realizou a primeira Cavalgada da Chama Crioula de Santa Margarida do Sul e filiou a ATM ao Movimento Tradicionalista Gaúcho.

Além de seu trabalho frente à 18ª região Tradicionalista e Coordenadorias Municipais, Italmir Chaves participava das Festas Campeira do Rio Grande do Sul, FECARS, na prova de Tava, onde junto com seus companheiros conquistaram o título de Campeão Estadual em TAVA na FECARS de 2007, titulo este que deu-lhes o direito de disputar a Festa Campeira Nacional no Estado do Paraná, representando o Rio Grande do Sul.

Seu trabalho despontou pelo Rio Grande do Sul e foi reconhecido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho, MTG, onde recebeu uma das mais altas condecorações do tradicionalismo gaúcho, o “TROFEU JOÃO DE BARRO”, em reconhecimento pelos seus relevantes serviços prestados ao Tradicionalismo Gaúcho, fruto de seu exemplar amor ao Rio Grande do Sul, traduzidos em atos concretos na defesa, manutenção e promoção da identidade cultural do gaúcho.

13059313_988024101293004_609671690_nEm 18 de abril de 2010, na cidade de Caçapava do Sul, uma das três Capitais Farroupilha, foi o local escolhido pelo nosso Patrão Maior, para Italmir Maldonado Chaves, o Milinho, comandar seu último Encontro de Patrões e Prendas da 18ª Região Tradicionalista, onde como sempre o fez, conduziu com muita responsabilidade e serenidade, encerrando assim, sua trajetória em nosso Movimento Tradicionalista Gaúcho, movimento que o Milinho sempre tratou e se dedicou com muito amor, respeito e honestidade, como tratava sua família.

No dia seguinte, 19 de abril, Dia do Índio, o Italmir Maldonado Chaves, o Milinho, como carinhosamente era conhecido por todos, nos deixou, vítima de um infarto fulminante, ocorrido em sua residência, deixando um legado de AMOR AS TRADIÇÕES GAÚCHAS, de responsabilidade, competência, seriedade, dinamismo e firmeza em todos os atos, onde conquistou amizade, respeito e reconhecimento de todos, pois mostrou por onde passou que com honestidade, simplicidade, respeito, amor ao próximo e tratando todos iguais, sem diferenças, podemos fazer com que o Movimento Tradicionalista Gaúcho seja respeitoe reconhecido por toda a sociedade.

Assim encerro minha coluna semanal, na certeza que você Pai sempre estará ao nosso lado e ao lado dos tradicionalistas de bem deste Rio Grande do Sul.

Muito Obrigado Pai, por tudo que fez por nós “família” e pelo nosso Tradicionalismo Gaúcho. Saudade de ti Pai.

“Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”.

Sobre Leandro Chaves

Leandro Chaves
Professor e Tradicionalista. Filho de Italmir Maldonado Chaves (in memoriam) e Ana Maria Castro Chaves. Exerceu diversas funções em Entidades Tradicionalistas de São Gabriel; foi Sota-Capataz e Tesoureiro da 18ª Região Tradicionalista. Atualmente integra o Departamento Social do CTG Tarumã. É o idealizador do Mennatchê, um evento tradicionalista realizado no mês de Setembro, dentro de uma Escola Pública, que tem como objetivo cultuar as tradições do RS.

BOMBEIA TAMBÉM, TCHÊ!

Caçapavano ganha reconhecimento do MTG por atividades tradicionalistas

Na última sexta-feira (01/12) o Caçapavano Lucas Mota recebeu uma homenagem em reconhecimento aos serviços ...