segunda-feira, 18 junho 2018
Capa » PROSEANDO » Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra

Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra

Como é bom ser Gaúcho! Como é gratificante ter nascido aqui neste pago santo! Como é bom fazer parte deste Rio Grande do Sul!

foto 002

O Setembro está batendo na porta e com ele a nossa Semana Farroupilha, e com a permissão de nosso Patrão da Estância Grande do Céu pedimos licença para mais uma prosa semanal no mundotradicionalista.com, onde o PROSEANDO COM RATINHO CHAVES, agradece a cada gaúcho e gaúcha deste Rio Grande de Deus por estarem junto a nós, neste convívio que realizamos a cada semana, de forma simples, humilde e hospitaleira, para que juntos possamos prosear sobre a nossa tradição gaúcha.

A nossa Semana Farroupilha é um momento especial de culto as nossas tradições deste Rio Grande do Sul, envolvendo praticamente toda os habitantes deste pago e das demais Unidades de Federação do imenso Brasil, e transcendendo as fronteiras do nosso País.

foto 001Os Festejos Farroupilhas envolvem não só os gaúchos, mas iniciativas privadas, comércios, serviços públicos, instituições em geral, pois o sangue farroupilha que corre nas veias de cada habitante de nosso Estado faz brotar o sentimento pela cultura gaúcha.

Semana Farroupilha é o maior evento festivo da Cultura Gaúcha, que se comemora de  10 a  20 de setembro com desfiles em homenagem a líderes da Revolução Farroupilha e sobre um tema proposto e aprovado pelo MTG. O evento lembra o começo da Revolução Farroupilha, mais longa revolução do Brasil, que durou quase dez anos e tinha como ideal liberdade, igualdade e humanidade.

A semana farroupilha é uma semana que todos gaúchos vão pras ruas comemorar, tomando seu chimarrão e celebrando com desfiles, shows. Apresentações artísticas e se caracterizando de forma adequada, onde as moças de vestido de prenda e os homens de bombacha, lenço, guaiaca, chapéu, entre outros, relembram nossos antepassados e a epopeia farroupilha.

O tradicionalismo é um estado de consciência, que busca preservar as boas coisas do passado, sem conflitar com o progresso, através do cultuar, vivenciar e preservar o patrimônio sociocultural do povo gaúcho. É a sociedade que defende, preserva, cultua e divulga a tradição gaúcha, que congrega defensores dos costumes, dos hábitos, da cultura, dos valores do gaúcho.

O tradicionalismo tem uma filosofia de atuação, tem objetivos expressos nas teses O SENTIDO E O VALOR DO TRADICIONALISMO de Luiz Carlos Barbosa Lessa e na CARTA DE PRINCÍPIOS de Glaucus Saraiva da Fonseca. É um movimento planificado e regulamentado, com uma administração decentralizada, através das Regiões Tradicionalistas, que coordenam OS PÓLOS SOCIAIS E CULTURAIS, que são as entidades tradicionalistas, conhecidas como Centro de Tradições Gaúchas e entidades a fins filiadas ao MTG.

Toda esta estrutura organizacional é administrativa, é orientada e coordenada pelo MTG, através do Conselho Diretor e Coordenadorias Regionais. Por ser uma sociedade, depende da atuação de cada tradicionalista, que é o grande soldado, o maior e imprescindível responsável pelo cultuar e divulgar a tradição, ou seja, a gama patrimonial gaúcha.

O TRADICIONALISTA é um “homo sapiens”, ou seja, é o ser que sabe que sabe, é o ser que está no mundo com ciência, com sabedoria, dotado de inteligência, é um ser pensante e eminentemente social.

O Patrono do Tradicionalismo é João Cezimbra Jacques, o “Precursor do Tradicionalismo.”.

A cada ano o Movimento Tradicionalista Gaúcho define um tema para os Festejos Farroupilha, onde as Entidades Tradicionalistas filiadas trabalham para relembrar a nossa Cultura Gaúcha e neste ano de 2015, o tema escolhido foi“O Campeirismo Gaúcho e a sua Importância Social e Cultural”.

O tema de 2015 dos Festejos Farroupilhas é de autoria de Fabiano Vencato, da 12ª Região Tradicionalista, e com relatoria de Iara Rott e Lucas Dayran Vieira, a proposta foi apresentada e aprovada no 63º Congresso Tradicionalista Gaúcho, realizado em Uruguaiana.

Os autores citam Barbosa Lessa na justificativa da proposta: “A ideia nuclear das Tradições Gaúchas é a figura do campeiro das nossas estâncias (…)”. (…) “Precisamos mostrar às novas gerações – bem como aqueles que, vindos de terras distantes, acorrerem à nossa querência – que as tradições gaúchas são realmentebelase que o gaúcho merece realmente a nossa admiração”.

Algumas questões pontuais sugeridas para serem trabalhadas durante os festejos são a relação entre o homem e o cavalo, a música campeira, o laço, afazeres domésticos, mãos gaúchas no couro, galpão, a tosquia, o alambrado e a ordenha.

O tema será trabalhado nas atividades das 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul, como acampamentos e desfiles.

Sugestões a serem trabalhadas durante os festejos são a relação entre o homem e o cavalo, a música campeira, o laço, afazeres domésticos, mãos gaúchas no couro, galpão, a tosquia, o alambrado e a ordenha.

Relação entre o homem e o cavalo
Apresentar a convivência entre homem e cavalo, por exemplo, a luta entre domar e ser domado foi estreitando-se, de tal forma que quando se fala no termo gaúcho, logo se remete ao homem campeiro montado em seu cavalo.
A atuação na lida campeira, onde o animal torna-se imprescindível para os ofícios do dia a dia, marcações, campereadas, rondas noturnas, recorrer o campo, castrações, comitivas e tropeadas.
O convívio entre o peão campeiro e o cavalo em nossas zonas rurais e urbanas é muito comum, desde o simples fato da utilização para montaria e cavalgadas, onde é usado para ir à missa, bolicho, fandango, entre tantos outros acontecimentos, até a sua utilização no ambiente de trabalho.

A música campeira
Apresentar o gaúcho campeiro, atuando em seus momentos de lazer e descontração como artista, expressando suas habilidades, em torno da música campeira ou música de raiz, pajadas e poesia gaúcha.
Pesquisar os principais instrumentos musicais do Rio Grande do Sul: viola rabeca, violão, gaita e outros.

O laço
Surgimento e introdução do laço do Rio Grande do Sul
Apresentar tipos de laço e origem, composição do laço.
Trabalhar a prática da vaca parada com as crianças.
Pealos.
O laço no imaginário social.

Afazeres domésticos
No início da criação das estâncias o trabalho da mulher esteve muitas vezes ligado aos afazeres domésticos, zelando sempre pela estrutura familiar. A participação feminina foi, e ainda é fundamental em todo o contexto histórico, social e cultural do Rio Grande do Sul.
Apresentar atividades como: fazer comida, pão, doces, costuras, tirar leite, cuidar da horta e outros.

Mãos gaúchas no couro
Apresentar o trabalho do guasqueiro, suas próprias técnicas na fabricação de utensílios de montaria e outros.
Tratamento no couro e modelos de tranças de couro.
Utilização do couro na vestimenta do gaúcho.

Galpão
Apresentar tipos de galpões, utensílios usados, mobiliário e outros, partes componentes do galpão, sua funcionalidade.

Tosquia
A comparsa e (composição das diversas atividades)
Cuidados com os animais após a tosa.
Ferramentas
Ambiente da tosquia
O preparo do local

O Alambrador
Utilização, o profissional (o  alambrador), materiais usados no alambrado, ferramentas utilizadas e nomenclaturas.

Ordenha
Origem, finalidade, termos utilizados e a atividade em si.

Encerrando mais uma prosa semanal, agradecemos a cada gaúcho e gaúcha deste Rio Grande de Deus, por estarem junto a nós, proseando e cultuando o que de melhor existe em nossa cultura gaúcha, onde possamos transmitir a nossas futuras gerações o que aprendemos com nossos antepassados, transmitir a verdadeira essência de ser gaúcho, pois nosso Movimento Tradicionalista é um dos mais organizados, sadios e importante do Mundo.

Até a próxima semana, onde com a permissão de nosso Patrão Maior aqui estaremos trazendo mais informações sobre a nossa Tradição Gaúcha a todos os Gaúchos e Gaúchas deste Rio Grande de Deus.

SHOWS NOS FESTEJOS FARROUPILHAS
TERRA DOS MARECHAIS – SÃO GABRIEL

foto 003

Dia 10 de setembro – Ênio Medeiros
Dia 11 de setembro – Cristiano Quevedo
Dia 12 de setembro – Leonel Gomes
Dia 13 de setembro – Edson Vargas e Galope do Mouro
Dia 14 de setembro – Madson Motta e Vinícios Freitas
Dia 15 de setembro – Volmir Coelho
Dia 16 de setembro – Miguel Marques
Dia 17 de setembro – Jorge Freitas
Dia 18 de setembro – Os Mateadores

“Sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”.

Sobre Leandro Chaves

Leandro Chaves
Professor e Tradicionalista. Filho de Italmir Maldonado Chaves (in memoriam) e Ana Maria Castro Chaves. Exerceu diversas funções em Entidades Tradicionalistas de São Gabriel; foi Sota-Capataz e Tesoureiro da 18ª Região Tradicionalista. Atualmente integra o Departamento Social do CTG Tarumã. É o idealizador do Mennatchê, um evento tradicionalista realizado no mês de Setembro, dentro de uma Escola Pública, que tem como objetivo cultuar as tradições do RS.

BOMBEIA TAMBÉM, TCHÊ!

Feliz Ano Novo …

Foi muito bom!!! Muito Bom mesmo, contar sempre com a tua amizade, durante o ano ...